In dubio pro reo?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest

Um réu estava sendo julgado por assassinato na Inglaterra.
Haviam fortes evidências sobre a sua culpa, mas o cadáver não aparecera.

Quase no final da sua sustentação oral, o advogado, temeroso de que seu cliente fosse condenado, recorreu a um truque:
– Senhoras e senhores do júri, eu tenho uma surpresa para todos vocês, disse o advogado,  olhando para o seu relógio.
– Dentro de um minuto, a pessoa presumivelmente assassinada neste caso, vai entrar neste tribunal.E olhou para a porta.
Os jurados, surpresos, também ansiosos, ficaram olhando para a porta… Um minuto passou. Nada aconteceu.
O advogado, então, completou:

– Realmente, eu falei e todos vocês olharam com expectativa. Portanto, ficou claro que vocês tem dúvida, se alguém realmente foi morto. Por isso insisto para que vocês considerem o meu cliente inocente.
Os jurados, visivelmente surpresos, retiraram-se para a decisão final.
Alguns minutos depois, o júri voltou e pronunciou o veredicto:
– Culpado !
– Mas como? perguntou o advogado… Vocês estavam em dúvida, eu vi todos vocês olharem fixamente para a porta!
E o juiz esclareceu:
– Sim, todos nós olhamos para a porta, mas o seu cliente não…
MORAL DA HISTÓRIA:
NÃO BASTA TER UM BOM ADVOGADO.
O CLIENTE TEM QUE COLABORAR….