Falar nos autos

A arma do advogado é a escrita. É o que dizem, embora geralmente os mais labiosos sejam vencedores…

Vai daí que certo advogado bisonho entendeu mal o despacho do Juiz: “Falem as partes”.

Conta-se que no interior do Paraná, um advogado pediu a um colega recém-formado para “falar nos autos” numa ação muito importante. Decorridos alguns dias, o diretor de secretaria advertiu o advogado de que o prazo estava se esgotando sem a sua manifestação. O advogado perguntou então ao seu colega: “Fulano, lembra-se do processo tal?” “Sim”, respondeu este. “Recorda-se que na semana passada solicitei-lhe que fosse ao cartório para falar nos autos?” “Sim”, foi novamente a resposta. “E então? Falou nos autos? “Sim”, respondeu o advogado iniciante. “Falei sim. Falei com o escrivão, falei com o oficial de justiça, falei com todo mundo sobre os autos. Por quê ? Algum problema?”

 
 

Mais textos em CASOS E CAUSOS

 
 

Compartilhe este texto



 
 
 
 

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *