Quando o correto não é justo

Coincidentemente, dois advogados encontram-se no estacionamento de um motel e, constrangidos, reparam que cada um estava com a mulher do outro.

Após alguns instantes silentes e de ‘saia justa’, mas mantendo a compostura própria dos profissionais do direito, em tom solene e respeitoso um diz ao outro:

– Nobre colega, inobstante este fortuito imprevisível, sugiro que desconsideremos o ocorrido, crendo eu que o CORRETO seria que a minha mulher venha comigo, no meu carro, e a sua mulher volte com Vossa Excelência no seu.

Ao que o outro respondeu:

-Concordo plenamente, nobre colega, que isso seria o CORRETO, sim… no entanto, não seria JUSTO, levando-se em consideração que vocês estão saindo e nós estamos entrando…

 
 

Mais textos em CASOS E CAUSOS

 
 

Compartilhe este texto



 
 
 
 

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *