PORTA ABERTA PARA O CASAMENTO

O casamento é coisa séria, projeto de vida a dois que exige autoconhecimento e muito juízo (ou pouco siso, como se diz).
Se está em dúvida, então não se case, ou apenas escolha uma união estável para viver feliz, se não se contentar com um bom namoro.
A lei deixa a porta aberta para o casamento, desde que a pessoa tenha idade suficiente – 16 anos, com autorização dos pais, e 18 por conta própria.
Esse alargamento da via rósea do casamento aplica-se também a pessoas com algum tipo de deficiência mental. É como dispõe o Estatuto da Pessoa com Deficiência, lei federal em vigor desde janeiro de 2016.
É uma forma de valorizar a pessoa humana, sem discriminações.
A meditar, no entanto, pois o caminho de rosas pode conter alguns espinhos que prejudiquem a longa caminhada da vida a dois, em especial se um deles ou ambos tiverem alguma deficiência mental mais séria, que pode até mesmo afetar sua descendência. Ou seja, não só juízo mas também um certo siso se faz preciso…

Euclides de Oliveiramarried1[1]

 

Palavras-chave: , ,

 

Compartilhe este texto



 
 
 
 

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *