CASOS E CAUSOS

ARTIGOS E TEXTOS

  • A arte de ser avó…

    A arte de ser avó…

    Netos são como heranças: você os ganha sem merecer. Sem ter feito nada para isso, de repente lhe caem do céu. É, como dizem os ingleses, um ato de Deus. Sem se passarem as penas do amor, sem os compromissos do matrimônio, sem as dores da maternidade. E não se trata de um filho apenas suposto, como o filho adotado: o neto é realmente o sangue do seu sangue, filho de filho, mais filho que o filho mesmo…

    leia mais →
     
  • Difícil escolha, mas nem tanto…

    Difícil escolha, mas nem tanto…

    Um homem tinha três namoradas e não sabia com qual delas deveria se casar.
    Resolveu, então, fazer um teste para ver qual estava mais apta a ser sua mulher. Tirou R$ 15 mil do banco, deu R$ 5 mil para cada uma e disse:
    – Gastem com o que quiserem.

    leia mais →
     
  • Sentença do celular, para marceneiro entender…

    Sentença do celular, para marceneiro entender…

    O Exmo. Magnífico Porretíssimo Gerivaldo Alves Neiva é Juiz de Direito na
    Bahia mas deveria ser alçado a Imperador. Vejam que sentença magnífica
    contra a Siemens ele escreveu. É delicioso, prova de que nem textos legais
    conseguem ser chatos, se escritos com gosto.

    leia mais →
     
  • Conceito de má-fé

    Conceito de má-fé

    Conhecido Juiz de Direito da Capital dirigia uma inquirição de testemunhas de um crime que se dera em Santo Amaro.
    O patrono do acusado era um jovem pernóstico e ainda convencido, pois saíra da última fornada da Academia.
    Depunha a testemunha, um capipira.

    leia mais →
     
  • Justiça com as Próprias Mãos

    Justiça com as Próprias Mãos

    Ao invés de dar uma mesada para seu filho, dê uma mesada seguida de um beijo. Ou compre um presente você mesmo, mas faça isso não só no dia que ele faz aniversário, faça isso quando ele tiver ido mal na escola ou quando algum amigo tenha lhe virado a cara. Ao invés de dar uma pensão, de uma pensão e um exemplo, mostre para o seu filho que a vida é mais que uma nota de uma moeda qualquer, mostre para seu filho que atrás de uma moeda tem trabalho honesto, tem sangue de coragem e tem responsabilidade incorruptível.

    leia mais →
     
  • Ai que saudade do meu latim

    Ai que saudade do meu latim

    Não faz muito tempo o Latim era disciplina obrigatória no ginásio, com aperfeiçoamento para aqueles que seguiam o curso Clássico. Aprendiam todos a declinar a “rosa” e o “qui, quae, quod”. Os mais espertos acompanhavam César na travessia do Rubicão ou chegavam a declamar as catilinárias de Cícero.

    leia mais →
     
  • Sentença para um marceneiro – JEC

    Sentença para um marceneiro – JEC

    Processo Número: 0737/05
    Quem pede: José de Gregório Pinto
    Contra quem: Lojas Insinuante Ltda., Siemens Indústria Eletrônica S.A e Starcell

    leia mais →
     
  • Morte Bizarra

    Morte Bizarra

    Em 23 de março de 1994, o médico legista examinou o corpo de Ronald Opus e concluiu que a causa da morte fora um tiro de espingarda na cabeça.
    O sr. Opus pulara do alto de um prédio de 10 andares, pretendendo se suicidar.

    leia mais →
     
  • Esselentíssimo Juiz

    Esselentíssimo Juiz

    Ao transitar pelos corredores do fórum, o advogado (e professor) foi chamado por um dos juízes:
    – Olha só que erro ortográfico grosseiro temos nesta petição.
    Estampado logo na primeira linha do petitório lia-se:

    leia mais →
     
  • A caçada abundante

    A caçada abundante

    Embora proibida em boa parte do território nacional, a caça continua sendo uma prática habitual em nosso interior. Caçam os moleques, com estilingue e pelotas de barro, o indiozinho atira com bodoque, imitando o arco e flecha dos mais velhos, diverte-se o caipira com sua espingarda de chumbo. Tudo isso para não falar de mais caçadas mais grossas, como as matanças da onça, jacaré e outros bichos.

    leia mais →